10 janeiro 2013

Sobre a amarração

Na amarração amorosa será pedido que os espíritos sob o poder de Deus intervenham na alma, na vida e no coração daquele que mantém o coração fechado a quem o ama, para que ele regresse a quem o ama, pois que o santo de Deus ouvindo o clamor do sofredor assim firmou e rogou tal maldição. E assim, aquele que se recusa a corrigir os seus caminhos e a ceder ao decretado pelos votos clamados a um santo de Deus, esse verá a sua alma amaldiçoada até que se torne manso e ceda, e assim amaldiçoado ficará ate que o faça, e assim sucederá para que ele ceda.

Por vezes as pessoas perdem-se uma da outra no meio de conflitos, de interferências de terceiros, de invejas, de mal – entendidos, de desavenças, de malefícios, de ciúmes, de confusões ou de indecisões, de medos ou de angustias, de complicações do quotidiano ou simplesmente de uma maré de má sorte que confundiu as mentes e o coração de alguém.

Qualquer uma dessas coisas pode desviar o rumo de vida de uma pessoa relativamente a outra.

E nesse caso, em nome do amor e pelos caminhos do amor, os espíritos celestes podem actuar, dissipando a confusão e criando harmonia, paz, certezas e forças no coração daquele que se afastou. E ao faze-lo, os espíritos estão apenas reequilibrado a vida dessa pessoa, devolvendo-lhe a harmonia, gerando felicidade nos corações onde o amor é semeado pelo amor e com amor.

Ao faze-lo, está-se concedendo uma segunda oportunidade aos que no seio de um casal, pecaram contra o outro e dele se afastaram, retribuindo amor com falsidade. Aquele que assim agiu crê-se que será, tocado pela luz, e assim terá uma hipótese de reconsiderar os seus caminhos, e de regressar aos trilhos do amor, retribuindo amor a quem lhe dá amor. Se assim suceder, todas as suas faltas serão perdoadas, e o reatamento virá tornando-se a relação ainda mais forte que nunca.